DFC (DEMONSTRATIVO DE FLUXO DE CAIXA)

O DFC deve ser utilizado para analisar o resultado do mês atual da empresa, além de fazer projeção para os meses futuros.

Análises relevantes que devem ser feitas a partir da análise do DFC: Quanto tenho para receber e pagar este mês? Vou fechar o mês no lucro ou prejuízo? Que dia minha conta vai ficar negativa? Vou precisar fazer antecipação de cartão, que dia, quanto? Aonde estou gastando mais? Qual é meu custo fixo e variável? Estas e outras perguntas o DRE por Regime de Caixa te ajuda a responder.

Daremos um exemplo simplificado, prático, objetivo e claro, que pode ser usado gerencialmente por pequenas e médias empresas enquadradas no Simples ou Lucro Presumido.

Etapa 1: Crie seu Plano de Contas (Grupo/Subgrupo/Contas) no software de gestão ou planilha de Excel de acordo com os grupos de 1 a 15 abaixo. Caso seja necessário, crie mais (Grupo/Subgrupo/Contas) de acordo com a sua realidade.

Etapa 2: Faça conciliação bancária diária e fechamento do caixa da tesouraria, utilizando software de gestão ou planilha de Excel, vinculando os recebimentos e pagamentos as contas do plano de contas informadas nos grupos de 1 a 15.

Seu saldo inicial do banco e dinheiro do caixa da tesouraria devem corresponder ao saldo inicial no software ou planilha. Após os lançamentos das receitas e despesas, o saldo final também deve corresponder. Caso não haja correspondência é provável que existam lançamentos errados.

Caixa de texto: IMPORTANTE
SEU DFC (DEMONSTRATIVO DE FLUXO DE CAIXA) SOMENTE SERÁ CONFIÁVEL CASO SUA CONCILIAÇÃO BANCÁRIA E CONCILIAÇÃO DE CAIXA DA TESOURARIA ESTIVEREM EM DIA, COM OS SALDOS BATENDO E LANÇADOS NO PLANO DE CONTAS CORRETO.
DEMONSTRATIVO DE FLUXO DE CAIXA – dados fictícios
GRUPO MÊS  Maio 2020 % Receita PLANO DE CONTAS – DETALHAMENTO
1 Receitas   150.000,00 100,0% Tudo o que foi Recebido, que entrou no banco e no caixa. Em boleto, ted, doc, dinheiro, cheque e cartão. Se fez antecipação de recebíveis também lança aqui.
2 Impostos sobre Venda       9.000,00 6,0% Tudo o que foi pago de Imposto sobre a venda, faturamento: Simples, ICMS, PIS, Cofins, IPI, ISS, IRPJ, CSLL, etc.
3 Comissão       6.000,00 4,0% Tudo o que foi pago de Comissão e ou premiação de vendedores/gerentes sobre a venda, faturamento e ou recebimento.
4 Frete Venda / Transportadora       5.000,00 3,3% Tudo o que foi pago de Frete para entregar os produtos vendidos.
5 Mercadorias / Matérias-Primas / Embalagens / Frete Compra     60.000,00 40,0% Tudo o que foi pago de Mercadoria (produtos que a empresa revende, no caso de Comércio), pago de Matéria prima e Embalagem (no caso de indústria) e frete na compra destes produtos.
6 Margem de Contribuição (1-2-3-4-5)     70.000,00 46,7% Fórmula = (Receita – Impostos – Comissão – Frete – Mercadoria)
7 Despesas Fixas     17.000,00 11,3% Tudo o que foi pago de Aluguel, Energia, Agua, Telefone, Internet, Software, Manutenção Predial, Contador, Advogado, Despesas Comerciais, Marketing, Seguro, etc.
8 Folha / Funcionários     16.000,00 10,7% Tudo que o que pago para os Funcionários: salários, benefícios, encargos, FGTS, INSS, férias, 13º, vale transporte, alimentação, cesta básica, lanche, uniforme, epi, exames, cursos, etc.
9 Despesas Financeiras       3.000,00 2,0% Tudo o que foi pago de tarifa de boleto, tarifa de ted / doc, manutenção de conta, juros por atraso de pagamento, etc.
10 Resultado Operacional (6-7-8-9)     34.000,00 22,7% Fórmula = (Margem de Contribuição – Despesas Fixas – Folha – Despesas Financeiras)
11 Investimento / Imobilizado       3.000,00 2,0% Tudo o que foi pago de Investimento / Imobilizado, compra de patrimônio para a empresa: Imóveis, veículos, máquinas, informática, consórcio, etc.
12 Dívidas / Impostos Atrasados       5.000,00 3,3% Tudo o que foi pago de Dívidas, impostos atrasados, renegociados, etc.
13 Resultado Bruto (10-11-12)     26.000,00 17,3% Fórmula = (Resultado Operacional – Imobilizado – Dívidas)
14 Pró-labore / Distribuição de Lucros     25.000,00 16,7% Tudo o que foi pago para os sócios: Salários, retiradas, vales, benefícios, seguro de vida, plano de saúde, combustível, despesas particulares, viagens, cartão de crédito, compra de bens pessoais, etc.
15 Resultado Líquido (13-14)       1.000,00 0,7% Fórmula = (Resultado Bruto – Pró-labore)

Segue abaixo as principais análises que faço no DRE Regime de Caixa, dezenas de outras podem ser feitas comparando cada grupo acima, meses anteriores, trimestres, mês atual x mês anterior, despesas mês a mês, projeções futuras, gráficos, etc.

  • Para saber o seu valor do seu custo variável é só somar os grupos 2+3+4+5. Pois são despesas que variam conforme a sua receita / faturamento / vendas. Para saber o % sobre a receita é só usar a fórmula.
  • Para saber o seu valor do seu custo fixo é só somar os grupos 7+8+9+11+12+14. Pois são despesas que tem pouca variação conforme a receita / faturamento / vendas. Para saber o % sobre a receita é só usar a fórmula.
  • Grupo 2-Impostos – Se o % deste grupo está aumentando precisa rever a tributação da empresa junto o Contador, se está tudo correto, fazer um planejamento tributário se vale a pena continuar no Simples, ir para o Lucro Presumido, Lucro Real, etc.
  • Grupo 5-Mercadorias / Matérias-Primas / Embalagens / Frete Compra – Se o % deste grupo está aumentando precisa rever prazo médio de vendas x prazo médio de compras, se o preço das mercadorias aumentou, precisa também aumentar o preço de venda, rever promoções, descontos, estoque mínimo, etc.
  • Grupo 8-Margem de Contribuição – Analiso o quanto vai “sobrar” da receita, após a subtração de todo o custo variável da empresa. Esse valor será usado para pagar o todo o custo fixo. Se o valor e % deste grupo está diminuindo vai sobrar menos para pagar o custo fixo e a empresa deve fechar no prejuízo, pois o custo fixo não costuma ter variação mensal.
  • Porque eu separo: Grupo 10-Resultado Operacional, Grupo 13-Resultado Bruto e Grupo 15-Resultado Líquido?
  • Porque são 27 anos lidando com pequenas e médias empresas. A maioria dos sócios / donos tem dificuldade em analisar as informações contábeis, misturam as despesas da empresa com despesas pessoais, investimento e dívidas com a operação do dia a dia.
  • Grupo 10-Resultado Operacional – Analiso se a operação da empresa, o dia a dia, está dando lucro ou prejuízo, sem considerar investimento, dívidas e pró-labore. Se a empresa tem margem, tem dinheiro para fazer um investimento ou pode pagar dívidas sem comprometer as despesas do dia a dia. Analiso se as despesas estão altas e se não há possibilidade de cortar custos. ( “Custo é igual unha, é preciso cortar sempre” mantra de  Jorge Paulo Lemann).
  • Grupo 13-Resultado Bruto – Analiso se mesmo pagando os investimentos e dívidas a empresa é viável. Se não, preciso reduzir as despesas fixas, reestruturar as dívidas, alongar os pagamentos, postergar investimentos, vender imobilizado etc.
  • Grupo 15-Resultado Líquido – Se tudo o que os sócios / donos gastam foi lançado corretamente no grupo 14-Pró-labore / Distribuição de Lucros, neste grupo finalmente aliso se a empresa deu lucro ou prejuízo.
  • Deixo esta análise por último porque na maioria das vezes o sócio / dono é o culpado da empresa dar prejuízo, porque tem uma retirada que é incompatível com a receita da empresa.
  • No exemplo fictício acima, mas baseado em fatos reais de dezenas empresas que prestei Consultoria, a retirada dos donos representa a segunda maior despesa da empresa.
  • O dono precisa ser remunerado por todo tempo e esforço dedicado a empresa, mais para que ela perpetue precisa dar lucro, gerar caixa, para no mínimo 6 meses de custo fixo.  
  • Esta pandemia veio para mostrar mais uma vez que tem caixa não quebra.